quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Ava: uma mulher de 3700 anos

Curiosidades


      A mulher acima parece alguém que você poderia encontrar na rua em pleno século 21? Ela foi sepultada há pelo menos 3.700 anos, na Escócia, no Reino Unido. Na época, por volta de 1700 a.C., a Grande Pirâmide do Egito já era um monumento antigo, com mil anos de idade. Foi batizada de AVa, uma abreviação de Achavanich, sítio arqueológico onde ela foi descoberta.

    Segundo cientistas britânicos, a reconstituição digital do rosto de Ava foi a mais exata já feita pela arqueologia e  teve como base um crânio achado ainda nos anos 80. A ilustração, baseada em um detalhado estudo das características de seu crânio, foi feita por arqueólogos e artistas forenses sob o comando da pesquisadora Maya Hoole. A imagem foi divulgada na internet por cientistas. 

      Sua altura, baseada no comprimento da tíbia, foi calculada em algo como 1,67 m. Os olhos azuis e o cabelo ruivo eram traços predominantes da população da região. O esqueleto não possuía mandíbula, o que dificultou o trabalho de reconstituição. O tamanho dos lábios foi estimado com base nos resquícios de esmalte nos dentes, que também ajudam a calcular, por meio do desgaste na superfície de contato, a idade com que Ava morreu.

      Ava fazia parte da cultura Beaker, uma civilização que viveu na Idade do Bronze, entre 2.900 A.C. e 1.900 A.C., e que tinha como característica a confecção de vasos campaniformes - arredondados e decorados.  A moça foi encontrada em 1987 por arqueólogos escoceses, em uma cova cavada em rocha dura - algo incomum para o povo, que geralmente enterrava os mortos na terra, com uma estaca ou uma pedra servindo de lápide. Um sinal de que ela era importante de alguma maneira do ponto de vista social ou de que já se sabia de sua morte com alguma antecedência


2 comentários: